história

       Sempre fui apaixonado por cavalos, pois desde guri o que eu mais gostava de fazer era ir para fazenda, andar a cavalo ir pro campo para lidar com o gado,  fazer pencas com os amigos, que saudades dos tempos de guri....
       O tempo foi passando e um dia meu pai disse nós podíamos comprar umas duas éguas crioulas, e naquele tempo lá pelos anos 80 achei que não, queria cavalos grandes de estatura pois o nosso município de Santo Cristo era conhecido pelas carreiras  de cancha reta.
       No início dos anos 90, comprei meu primeiro cavalo crioulo, um cuiúdo lobuno chamado F Damião do Seival, o qual não tinha grande morfologia aliás na época eu nem sabia o que era isso, mas era um cavalo muito manso, bem domado e ligeiro. Comecei a me interessar pela raça, assistir ao Freio de Ouro e vi que este era o cavalo que gostaria de  criar este cavalo de estatura mediana se tornava nas provas um gigante um “grande” cavalo. Lembrei das palavras do meu querido pai o Seu Tili Alceu Scholze, fui obrigado a lhe dar razão e pensei comigo mesmo, se tivesse dado atenção ao que ele me disse a uns 10 anos atrás já podíamos estar com um bom plantel de crioulos, aí vem o velho ditado que diz - temos que ouvir a voz da experiência.
       Bom a partir daí a paixão pelo cavalo crioulo só aumentou, nos associamos a ABCCC em 25 de outubro de 1993, nos primeiros anos como a maioria dos novos criadores começamos sem muito critério, erramos bastante, mas com o passar do tempo, fomos evoluindo e aprendemos bastante com técnicos e criadores experientes.

origem do nome

Dentro da nossa família o nome Alberto tem um significado muito forte, que passou de geração a geração. Começou com a homenagem que meu pai fez ao meu saudoso avô Alberto Scholze, quando me deu o nome de Fernando Alberto. O vovô Alberto foi além de avô meu grande amigo uma pessoa muito querida e correta que até hoje é lembrada e seguido seus princípios em nossa família. Em homenagem a ele batizei meu primogênito com o seu nome Alberto Scholze. Quando pensei que nome poderia dar a nossa cabanha, não tive dúvidas que o nome mais significativo para nós seria Cabanha Dom Alberto.

2005 - ano da evolução

       Após vários anos de aprendizagem definimos adequar nosso plantel, ficando na cria e comprando desde então só éguas de ponta na raça, com boa morfologia e sangues consagrados funcionalmente com o objetivo de nos tornarmos uma cabanha competitiva, visando grandes campeonatos morfológicos e funcionais.
       Conseguimos nos últimos 5 anos formar um bom plantel com a meta de criarmos cavalos crioulos com morfologia aliada a função.
       Inciamos em provas classificatórias em 2005, e por motivo de lesão ou alguma zebra nas provas, conseguimos participar pela primeira vez em 2009 do FREIO DE OURO com a égua DC Faceira de Mi Flor, ficando em 15 lugar.
       Dentro do planejamento feito para a Cabanha Dom Alberto em março de 2009, projetamos comprar um garanhão comprovado funcional e morfológicamente para aperfeiçoar o plantel Dom Alberto. Tivemos êxito quando adquirimos o Campeão do Freio de Ouro 2008, Freio de Bronze FICCC 2009 e Campeão Cavalo Adulto Expointer 2009 = RODOPIO DE SÃO PEDRO.
       Seguindo o planejamento compramos durante este ano mais 5 éguas de ponta para cria e temos o objetivo de comprar  mais 10 éguas no decorrer deste ano de 2010 e 2011. Desta forma, juntamente com as potrancas nascidas na cabanha , teremos em 2010 um total de 75 éguas na cria, em 2011 com 90 éguas e finalmente em 2012 chegaremos no objetivo traçado que é de 100 éguas na cria.